Git: Guia Básico com Tudo que um Novo Desenvolvedor Precisa Saber Blog Accurate

Git

Git: Guia Básico com Tudo que um Novo Desenvolvedor Precisa Saber

Algumas ferramentas são essenciais no início do caminho de novos desenvolvedores e tech leads como o Git.

Uma vez que, atualmente o mercado de tecnologia está super aquecido e propiciando a formação de novos desenvolvedores, é preciso o conhecimento dessas ferramentas.

Isso porque, elas são consideradas muito importantes durante a vida profissional e decisivas para a manutenção dos Devs em seus postos de trabalho.

No entanto, muitas vezes esse conhecimento acaba não sendo passado na formação e ferramentas como o Git acabam sendo uma barreira entre os novos desenvolvedores e tech leads.

A ideia aqui é ajudar você em sua jornada no mercado de trabalho de uma maneira simples e produtiva. Então acompanhe este conteúdo.

Antes de mais nada, você sabe o que é Git?

Git é uma poderosa ferramenta utilizada no mundo todo para versionar códigos.

Através dela podemos desenvolver projetos em que pessoas (às vezes do mundo todo) podem contribuir simultaneamente, editando e criando novos arquivos e permitindo que os mesmos possam existir sem o risco de suas alterações serem sobrescritas.

Com Git é possível manter um histórico de alterações do projeto e descentralizar o processo de desenvolvimento.

E por que é importante saber Git?

Quando você busca um primeiro emprego, é super importante você ter algo para ser mostrado, um portfólio.

E nada melhor do que mostrar seus projetos desenvolvidos direto do seu repositório Git, não é mesmo?

Mostrar seu código, mesmo que seja simples, dentro de um versionador já te dá 50% a mais de confiança na hora de uma conversa com um recrutador. 

Legal! mas qual a importância de versionar meus códigos?

Um programa em desenvolvimento tem muitas mudanças, alterações a todo o momento, ter várias versões do seu projeto pode te ajudar a resolver problemas futuros, pois, você poderá consultar seus antigos códigos facilmente.

Pensa comigo: você fez um super projeto para pilotar um foguete, mas seu chefe solicitou que o botão vermelho fosse alterado para o azul e que fosse acrescentado o turbo nele.

Logo, você inverte as ordens do botão e esquece como estava antes.

Ter uma versão “antiga” faz com que você entre no repositório e reveja seu código na versão anterior, podendo exportar pro projeto novamente. Simples né? 

GitLab ou GitHub, qual escolher? 🤷🏻‍♂️

Existem várias ferramentas que utilizam o Git como base. Abaixo vou citar 2 delas, mas você tem o livre arbítrio para poder escolher a que melhor se encaixa no seu dia a dia. 

Atualmente o mais utilizado entre os desenvolvedores em geral é o GitHub, mas, para trabalhar em equipes, o GitLab acaba sendo o mais escolhido.

Porém, ambos conseguem fazer as mesmas funções, basta você escolher a que melhor se encaixa com sua necessidade.

GitHub

Além de ser uma ferramenta de versionamento de código, o GitHub também funciona como um serviço de colaboração de projetos pessoais e comerciais.

Dessa forma, é possível que quaisquer usuários cadastrados na plataforma divulguem seus trabalhos e que outros membros da comunidade façam contribuições.

GitLab

Atualmente o  Gitlab vem dando integração com ferramentas de DevOps.

O Gitlab proporciona, nativamente, ferramentas de integração e entrega contínua ou CI/CD, além de métricas para acompanhamento de qualidade de código, performance e teste de usabilidade.

Repositório

Um repositório é onde está armazenado o seu projeto, com todas as suas branches (guarde esse nome) e arquivos.

O repositório fica armazenado em um servidor Git e geralmente, esse servidor fica na nuvem, em serviços como  o GitHub. 

Quando um desenvolvedor vai trabalhar no projeto, ele faz uma cópia local do repositório em sua máquina.

Como funciona a Árvore do Git?

Quando criamos um repositório Git, criamos também uma árvore (tree).

O código do projeto inicial é um branch (galho), e a partir dele é possível criar novos branches. 

Cada branch criado é uma cópia exata do seu branch pai (Arquivo principal) no momento da criação.

A criação de novos branches normalmente ocorre quando uma nova alteração no código precisa ser realizada, de modo que as alterações que o desenvolvedor realizar em uma branch serão salvas apenas naquela branch.

Resumindo: quando criamos um repositório Git, criamos um arquivo chamado de tree (Árvore). 

Este código se inicia com um branch (galho), a partir desta branch podemos criar novas branches.
Normalmente criamos novos branches quando precisamos fazer alterações que não podem ser modificadas no projeto principal. 

Alerta! Se for desenvolver qualquer melhoria no código principal, crie um branch novo! Esta dica te poupará horas de sono, rs. 

Commits

Commit é outra palavra bastante utilizada no universo Git.

Quando estamos trabalhando em um branch é possível realizar commits (confirmações de alterações).

Quando estes commits são realizados, em uma analogia simples, é como se uma foto fosse tirada daquele branch, naquele momento.

A partir de então, é possível voltar naquela foto e fazer alterações a partir dela sempre que necessário.

Origem 

Como mencionado anteriormente, o Git é um sistema distribuído, ou seja, o desenvolvedor possuirá uma cópia local do repositório em sua máquina.

Quando ele fizer alterações e commits no seu repositório essas alterações serão salvas localmente.

Para que outros desenvolvedores tenham acesso a essas alterações é necessário enviá-las para a origem, que nada mais é que a cópia original armazenada no seu repositório Git.

Merges 

Legal, criei um branch separado e criei tudo que tinha que criar, e agora?

Agora é  necessário utilizar o merge para poder reproduzir as alterações em outras branches e assim fazer essa junção.

Workflow – Fluxo de trabalho

Workflow é a sequência de etapas a serem realizadas por um ou mais colaboradores para que uma tarefa seja concluída de acordo com um conjunto de regras predefinidas.

É muito importante procurar entender o workflow da equipe em que se vai trabalhar, só assim o desenvolvedor saberá em qual branch ele deve atuar, em qual ele vai fazer merge de suas alterações e quando ele deve fazer commits e merges.

Conclusão

Neste artigo abordamos o básico de Git, na teoria. Mas ainda não acabou! 

Mais a frente vamos abordar o passo a passo de como criar nossa conta no Git e GitHub, além dos comandos básicos para realizarmos nosso primeiro commit. 

Faça parte dos talentos da Accurate

Na Accurate estamos sempre valorizando os talentos e buscando pessoas que estão antenadas às novas tecnologias e prontas para contribuir com nossos projetos. 

Se você é uma dessas pessoas, acesse a nossa página de carreiras, e se cadastre nas vagas em aberto. 

Compartilhe também esse conteúdo do Blog, e não deixe de acompanhar as nossas dicas e novidades.

Nos siga nas nossas Redes Sociais: Facebook, Instagram, Twitter e Linkedin

Autor

Edmundo Faria
Edmundo Faria
Graduado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, atua na área de tecnologia a mais de 10 anos, desempenhando papéis em infraestrutura On Premise, Cloud e atualmente no desenvolvimento de Software Web e Mobile.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *